Começar a correr: 4 “sim” e 4 “não”

A man running outside on the street

Novo na corrida? Descubra como evitar erros comuns que atrapalham a boa largada da galera que está começando.

Mulher correndo na rua

Fitness e moda? Treine com muito estilo (de preferência, o seu!).

1. SIM: pense no porquê.

Dar adeus ao sedentarismo, melhorar a saúde, arrecadar fundos para uma boa causa, uma promessa… seja qual for a sua RAZÃO para começar, é ela que vai ajudar você a prosseguir. Quando a empolgação do início começar a desaparecer (geralmente, é isso o que acontece!), é essa RAZÃO que vai fazer você sair da cama cedo para correr, conseguir transformar a corrida em um grito de liberdade depois de um dia difícil de trabalho. A razão pela qual você começou se transformará no motivo pelo qual você ama correr.

2. SIM: alongamento.

É comum se sentir dolorido nas primeiras corridas, seu corpo (“enferrujado”?) precisa se adaptar aos novos movimentos. Fazer um alongamento antes da corrida aquece o seu corpo e prepara ele para reagir melhor ao treino. Já um alongamento básico no final da corrida acelera a recuperação muscular, pois, ao alongar os músculos, você “devolve” o comprimento natural deles. Atenção, apenas após algumas sessões de alongamento pré- e pós-corrida, é que você vai sentir bem o efeito desses milagrosos exercícios. Alongar, além de contribuir para o seu bem-estar, acelera, inclusive, o crescimento muscular.

3. SIM: encontre a sua galera.

Os extrovertidos provavelmente já chegaram lá! Mesmo que correr seja um momento só seu, um momento de encontro entre os seus tantos eus, se juntar a um grupo, ainda que de vez em quando, pode trazer muitas vantagens. É uma oportunidade de compartilhar experiências e aprender com os corredores mais experientes. Também é uma boa forma de dar uma chacoalhada na sua zona de conforto, jogar você um pouco para fora dela.

Você fica mais esperto, mais preparado para competições. Pode aprender quando é o momento de dar aquela arrancada e quando é o momento de se segurar, você pode aprender a controlar o seu corpo (e alma!) melhor.  Pisar na linha de largada junto com um monte de gente, cada um com o seu objetivo, vai aumentar a sua autoconfiança e diminuir muito o nervosismo que acompanha os dias de competição.

4. SIM: tênis de corrida adequado.

Cada um tem a sua própria forma natural de correr e é, sobretudo, importante conhecer bem a própria pisada. Quem tem um arco da planta do pé alto e bem acentuado é, provavelmente, um supinador, ou seja, “pisa para fora”, o pé toca o solo com a parte externa do calcanhar e se apoia na borda lateral. Quem tem um bom arco plantar provavelmente pisa neutro, o pé toca o solo uniformemente, começando pela parte externa do calcanhar rotacionando ligeiramente para dentro. A pisada pronada é o “pisar para dentro”, quando a parte de fora do calcanhar toca no chão e o pé faz uma rotação exagerada para dentro.

Veja a seguir um resumo do tipo de tênis recomendado para cada tipo de pisada:

  • Neutra: tênis com amortecimento neutro e estável
  • Pronada: tênis de pronação leve e moderada para controlar e estabilizar o movimento
  • Supinada: tênis com amortecimento neutro ou leve

Fica a dica:

A melhor forma de identificar a sua pisada é fazendo uma avaliação com um médico ortopédico ou um fisioterapeuta. Você também pode se filmar e tentar analisar sua pisada no vídeo.

Homem correndo

1. NÃO tenha medo de começar um plano de corrida ou caminhada.

Se joga, não tem treta. No início, pode ser que a corrida pareça mais um desafio aeróbico (falta de ar!) do que uma atividade física prazerosa. O melhor mesmo é começar bem devagar, deixar o seu corpo se adaptar ao novo estímulo aos poucos. 

Intercalar corridas e caminhadas é uma boa forma de graduar esse processo. Diminua a quantidade de caminhadas gradativamente (caminhando rápido, por exemplo)… até que um dia você esteja apenas correndo. Não tenha pressa. Procure o seu ritmo, ideal é encontrar a sua própria zona de conforto, onde você se sente bem enquanto se exercita.

2. NÃO acelere demais!

Ver o ritmo mudando e as distâncias aumentando é a maior satisfação para quem tá começando. E com razão, quem não curte se superar? Você vai correr mais rápido e percorrer maiores distâncias muitas vezes e cada vez mais. O gostinho da vitória é tão bom que você vai ficar querendo mais, tentando cada vez mais… e como todo vício, vai dar ruim.

Dê tempo ao tempo. Se você não deixar espaço para o seu corpo se adaptar, pode acabar sofrendo consequências, como, por exemplo, fadiga e exaustão. É uma aprendizagem: em certos momentos, você vai ter que dar tudo de si, e em outros… vai ter que frear e deixar o seu corpo se recuperar. Os treinos devem ser cíclicos, tanto para profissionais quanto para iniciantes.

3. NÃO pare de fazer outras atividades físicas que você curte!

As atividades físicas se complementam. Uma sessão de yoga, spin, pilates e treinos de força são uma espécie de boost de resultados para corredores, ótimos para a saúde do seu corpo e da sua mente. Se tem alguma outra atividade que você curte, faça questão de deixar ela no seu programa de fitness, muito provavelmente, ela será a sua fonte de equilíbrio.   

4. NÃO deixe de dormir para treinar!

Dormir é bom, dormir é importante! Boas noites de sono fortalecem o sistema imunológico, regulam os hormônios que afetam diretamente o apetite, combatem inflamações e otimizam o rendimento no esporte, além de muitos outros benefícios. No balanço da vida, balanceie essa também! Equilibre boas horas de sono e atividades físicas, isso vai influenciar positivamente a sua saúde e bem-estar geral.

***

CLASSIFIQUE ESTE ARTIGO

Jen Rhines Jen é uma das melhores corredoras do mundo, ela já participou das Olimpíadas três vezes. "Sem corrida não há vida. Não para mim!", conta Jen, que atualmente trabalha como coach de saúde e corrida. Ver todos os artigos de Jen Rhines »

Leave a Reply