Como evitar bolhas nos pés durante a corrida? Dicas de expert

Pessoa alongando o pé usando um tênis apropriado para evitar bolhas nos pés

Se existe um pequeno, porém potente inimigo de todo mundo que corre, este inimigo chama-se “bolhas nos pés”. É coisa corriqueira, mas é um dos tipos de lesões mais comuns para quem corre. Uma bolha no pé pode facilmente acabar com a diversão da corrida, transformando cada passo em pura agonia.

Mulher correndo em velocidade pela cidade

Como surgem as bolhas nos pés?

Este tipo de bolha se deve a atrito entre o tênis de corrida, a meia e a pele do pé. O atrito é mais comum em áreas com costuras mais afiadas e meias amarrotadas. Podem ser causadas também por palmilhas ou tênis inapropriados para o pé. Se a pele ficar irritada (por exemplo, por conta do atrito) durante bastante tempo, um fluido se deposita abaixo da pele, formando uma bolha. Se o dano à pele for realmente grave, pode surgir uma bolha de sangue. Dependendo do tamanho e da intensidade, estes locais doloridos são tão incômodos que praticamente impossibilitam a corrida.

Primeiros socorros para bolhas nos pés

Se, durante a corrida, você perceber que uma bolha está se formando no seu pé, uma boa ideia é parar a corrida por ali mesmo. Encurtar o treino de hoje permitirá retomar mais cedo! Afinal, é a única forma da bolha não piorar ou, pior, ficar inflamada. Além disso, se cada pisada doer, seu corpo vai tentar compensar alterando sua forma de corrida, e os padrões compensatórios costumam causar dores no corpo.

Por outro lado, se a chata da bolha aparecer durante uma prova de corrida ou evento esportivo, o jeito é aguentar e seguir! Se puder, pare rapidamente em um posto de atendimento médico para que coloquem esparadrapo sobre o local, minimizando o atrito.

Após cruzar a linha de chegada, a primeira coisa a fazer é descansar e deixar o pé se recuperar. Isso dará ao pé o tempo necessário para se curar, além de não piorar a bolha.

Dica do Sascha, especialista em corrida:

“Há band-aids especiais com gel que agem como um amortecedor para pequenas bolhas. Este tipo de curativo acelera o processo de cura e reduz a pressão dos calçados no local onde dói. Se a bolha for tão grande que você precisar estourá-la, utilize uma agulha 100% estéril e limpa. Senão, há risco de infecção e até intoxicação sanguínea!”

Como prevenir bolhas para correr sem dor?

C-L-A-R-O que prevenir bolhas é melhor do que tratá-las, certo? Assim, cuide bem dos seus acessórios de corrida, pois até pequenos detalhes podem causar problemas. Use as três dicas abaixo para comprar bons tênis de corrida, boas meias e preparar o pé para se divertir correndo sem bolhas:

Corredor cansado e com dor no pé devido a uma bolha

1. Tênis de Corrida

  • A coisa mais importante é ter tênis de corrida que caibam direito no pé e que não sejam apertados. Para evitar atrito no pé, deve haver ao menos a largura de um polegar entre o dedão do pé e a parte da frente do tênis. Isso garante que o pé tenha bastante espaço para se mover quando estiver correndo em declives. Fora isso, é normal que os pés inchem durante corridas longas. Assim, o tênis precisa ser um tantinho largo para que os pés não fiquem sendo incomodados por arestas e ressaltos internos ao tênis ou pelo atrito.
  • Antes de sair para correr com um tênis novo, amacie ele: use-o durante o dia para ir aqui ou ali antes de começar a treinar firme com eles. Isso permite que o pé se acostume à sensação dos novos tênis. Antes de usar os tênis de corrida novos em uma prova ou evento esportivo, você já precisa ter corrido entre 20 e 30km com eles. Se você registra suas corridas e caminhadas como o nosso app adidas Running, vai saber certinho quando alcançou a distância mínima ideal para estrear os tênis nas provas!
  • Alterne os tênis com frequência. Pontos dolorosos nos pés geralmente dependem das características dos tênis. Com a troca constante, os pontos doloridos se recuperam mais rapidamente.
  • Se, no interior do tênis, você reparar que algum ponto não recebeu bom acabamento, uma opção para remediar a situação é colocar fita sobre essa área, ou torná-la mais flexível com vaselina ou talco infantil. Se isso não funcionar, desista do tênis ou ao menos vá a uma sapataria para ver se resolve.
  • As palmilhas de um novo tênis de corrida também podem causar bolhas nos pés. Se for o caso, simplesmente troque as palmilhas dos tênis novos pelas palmilhas de tênis mais velhos. Normalmente, isso resolve o problema. Entretanto, se você usar palmilhas personalizadas, ortopedicamente customizadas, e elas não se encaixarem bem, um especialista terá que lixá-las ou apará-las para que se encaixem bem e o atrito seja reduzido.

2. Meias

  • As meias são a interface entre o pé e o tênis. É por isso que ter boas meias é muito importante para evitar atrito e garantir uma boa distribuição da pressão. As meias não devem ser frouxas, apertadas ou grossas demais: se forem grossas, elas não se amassam, e a rigidez pode intensificar qualquer atrito.
  • As meias também precisam ser amaciadas, como os tênis: nunca saia para uma prova ou evento de corrida com meias novas ou que acabaram de ser lavadas! O material da meia estará endurecido e não terá tido o tempo de se ajustar ao formato dos pés.
  • Mantenha os pés bem secos; Meias fabricadas com fibras sintéticas puxam a umidade para longe da pele dos pés. Com os pés secos, é mais improvável que surjam bolhas nos pés.
  • Se você gosta de correr sem meias, use tênis especiais para triatlo. Este tipo de tênis é projetado para corrida sem meias e proporciona acolchoamento melhor.

Alogamento do pé antes de atividade leve para amaciar o tênis

3. Pés

  • Os pés trabalham duro quando corremos. Por isso, cuide deles com carinho. Adote medidas de cuidado com os pés ou faça pedicure com certa frequência para manter a pele suave, favorecendo a diminuição dos pontos de atrito que formam as bolhas nos pés.
  • Provavelmente é uma boa ideia usar curativos especiais com gel ou esparadrapo para bloquear áreas problemáticas. Quando aplicar o curativo, não deixe formar irregularidades ou áreas amassadas. Além disso, utilize um bálsamo reparador para os pés ou cremes destinados aos pés antes ou após o treino. Este tipo de abordagem refresca a pele estressada e a mantém flexível, evitando assaduras e possíveis futuras bolhas.
  • Dica extra: não subestime o valor de treinar sem tênis para tornar a pele dos pés mais resistente. Treinar descalço é melhor para o corpo inteiro, principalmente para as articulações, além de fortalecer os músculos dos pés.

 

***

CLASSIFIQUE ESTE ARTIGO

Sascha Wingenfeld Sascha é coach de bem-estar e triatleta. Com mais de 10 anos de experiência, ele treina corredores de todos os níveis. "Sou apaixonado pelo meu trabalho, amo correr". Ver todos os artigos de Sascha Wingenfeld »