5 dias sem plástico em Nova Iorque: minha tentativa

por Chris Thaller,
Diretor Criativo de Projetos do Runtastic

Por que reduzir o consumo de plástico é importante hoje em dia?

  • O plástico está em todos os lugares: 1 milhão de garrafas plásticas são compradas por minuto no mundo todo. Uma quantidade incalculável de embalagens e sacos plásticos são jogados fora todos os dias. Isso significa que produzimos muito lixo plástico produzido em apenas um dia, todos os dias.
  • O mais assustador é que o plástico não desaparece: ele se decompõe, mas não completamente. Ele se transforma em partículas mínimas de plástico, quase invisíveis, que chamamos de microplásticos. Cedo ou tarde, estas partículas chegam nas águas dos rios e mares, onde são ingeridas por peixes.
  • O plástico entra no nosso corpo: o plástico que um dia compramos e jogamos fora acaba dentro do nosso corpo. Comemos peixes, usamos cosméticos e produtos de higiene que contêm microplásticos, bebemos água em garrafas plásticas. Infelizmente, falta informação, muitas pessoas não tem consciência do tamanho do problema.

Precisamos agir, temos que falar sobre isso.

Muitas garrafas de plástico na praia

Por isso quero contar para vocês como foi a minha tentativa de viver sem plástico. O que eu aprendi? Como consegui superar os desafios diários e diminuir o meu consumo de plástico?

Acredite se quiser…

Desde que comecei a tentar parar de comprar alimentos embalados em plástico de uso único, perdi muuuitos quilos! Domingo à tarde era sempre eu, um saco de batata chips na mão e uma partida de futebol na tv. Você já conseguiu comprar batata chips fora da embalagem? Boa sorte! 😉

MEU PROBLEMA, MINHA SOLUÇÃO, MINHA HISTÓRIA

Tudo começou num vôo para NY.

Eu estava indo participar do último grande evento do programa Run for the Oceans da adidas x Parley no Dia Mundial dos Oceanos. A idéia era se reunir para conscientizar sobre os grandes perigos da poluição plástica marinha. Tudo o que eu mais queria era chegar logo!

“O que você gostaria de comer, senhor?” perguntou a aeromoça. Taí a pergunta que revolucionou os meus dias em Nova Iorque.

Quando terminei de comer, choquei com a quantidade de lixo plástico que eu mesmo tinha acabado de produzir.

Contradição! Eu não estava indo para Nova Iorque para combater a produção de lixo plástico?

Foi aí que decidi entrar neste desafio.

Prometi a mim mesmo que, durante a minha estadia em Nova Iorque, não compraria nem pegaria nada embalado em plástico de uso único. Promessa é promessa, bora lá!

DIA 1: VAI UM COFFEE-TO-GO?

Tínhamos uma reunião marcada bem cedinho no nosso primeiro dia em Nova Iorque. No caminho pra reunião, decidimos pegar um café pra levar.

Não. Eu não levei o meu copo reutilizável comigo.

Pegar um café e não pegar a tampinha, será que tá valendo? Ou deixo o café pra lá?

E esses copos descartáveis são realmente recicláveis?

Embora os copos de “café pra levar” sejam tecnicamente recicláveis, a verdade é que não, eles não são. Geralmente, este tipo de copo é feito de papel, mas eles são revestidos com plástico polietileno, para ficar à prova de água.

Minha solução para o meu desafio #1: café, não. Naquela tarde, comprei um copo de café reutilizável, feito de bambu, e pude tomar o meu coffee to go sempre que batia a vontade, durante todo o resto da minha viagem.

DIA 2: MONTANHAS DE PLÁSTICO

Dia 2 na cidade de Nova Iorque. Acordei com vontade de sair para fazer uma corrida matinal. Corri até o Central Park e choquei com o que vi pelo caminho.

Era plástico para todos os lados.

Quanto mais eu prestava atenção, mais plástico aparecia. Vi montanhas de plástico nas calçadas.

Eu sabia que era lixo esperando o caminhão do lixo. Mas, mesmo assim, para onde vai tanto plástico?

Muitos sacos plásticos empilhados numa calçada de Nova Iorque

DIA 3: O FAIL DA GARRAFA DE ÁGUA 

Deixei para “turistar” um pouco no terceiro dia. Depois de um tour de 3 horas por Manhattan, fui almoçar.

Procurei algum restaurante de comida saudável. Já quase desistindo, depois de ter passado por mais de 25 restaurantes que só serviam comida em embalagens plásticas, finalmente encontrei um que servia as porções em pratos de madeira ou embalagens de papel! Aleluia, achei o que eu tava procurando.

Pedi para o garçom encher a minha garrafa de alumínio com água da torneira…

Horror: ele me disse que podia me dar água da torneira sem problemas, mas num copo de plástico!

Por razões de higiene, os garçons não podem encher garrafas dos clientes com água. Nem eu e nem ele tínhamos permissão para fazer isso! Ou eu bebia a minha água num copinho de plástico ou ficava sem água.

Hã? Parece uma pegadinha. Mas, fatos reais.  😐 

Garrafa de alumínio e sanduíche numa embalagem de papel

MEU ÚLTIMO DIA: DE VOLTA NO AVIÃO

Dia de ir embora, goodbye, Nova Iorque! Até então eu tinha conseguido ficar sem plástico nessa cidade. Apesar de orgulhoso (pois foi difícil!!), eu já tava consciente do meu último grande desafio: o vôo de volta para a Áustria.

Quando a aeromoça me perguntou sobre a comida, desta vez, eu disse “não, obrigado”.

Levei comigo um sanduíche poderoso (numa embalagem de papel), minha garrafinha de alumínio para a água e duas maçãs de sobremesa. Sim, é possível comer bem, inclusive, numa viagem de negócios.

Missão cumprida. Não comprei nenhum plástico de uso único durante toda a minha viagem de 5 dias. Calma, ainda não acabou.    

SEM PLÁSTICO EM CASA 

Parar por quê? Pois é, continuo tentando reduzir o meu consumo de plástico de uso único o máximo possível:

  • Não compro garrafinhas plásticas há mais de dois anos, dei uma otimizada na minha “coleção” de utensílios reutilizáveis.
  • Coisas que carrego sempre comigo: um copo de café reutilizável, uma garrafa de alumínio para a água e a minha ecobag (uma sacola de pano).
  • Quando vou buscar jantar no restaurante vietnamita que amo tanto, levo minhas próprias vasilhas.

Bom, tenho que admitir que ainda tem muuuito plástico na minha vida. Mas como me dizem por aí, um produto de cada vez, aos poucos chego lá. Se você quer tentar também, recomendo começar pelos produtos mais simples e desnecessários até chegar na sua grande meta.

5 COISAS QUE APRENDI ELIMINANDO O PLÁSTICO DA MINHA VIDA

  1. Sempre existem alternativas sem plástico. Encontrá-las é uma questão de tempo. Implementá-las é uma questão de hábito.
  2. Dá para economizar dinheiro (pois compramos menos).
  3. Uma forma de emagrecer (comemos menos besteiras).
  4. A autoestima dispara, você se sente bem, porque “se importar” é muito legal.
  5. Somos extremamente adaptáveis, dá para se acostumar muito rápido com a vida sem plástico, a mudança de hábitos evolui naturalmente.

No final das contas, posso dizer que essa experiência altamente gratificante, que encheu os meus dias de sentido e bons sentimentos, foi o meu maior aprendizado. É uma alegria, uma felicidade muito grande conseguir se esforçar e agir conscientemente para melhorar o mundo, nem que seja um pouquinho só!

Junte-se ao movimento!Venha correndo combater a poluição marinha! Participe da corrida virtual Run for the Oceans, entre 8 e 16 de junho.

***

CLASSIFIQUE ESTE ARTIGO

Runtastic Team Quer ser mais ativo? Emagrecer? Dormir melhor? A equipe do Runtastic ensina os segredos para fazer você levantar do sofá e chegar aos seus objetivos. Ver todos os artigos de Runtastic Team »

Leave a Reply