Sente dor de cabeça após treinar? Veja 4 causas comuns

Mulher sentindo dor de cabeça após o treino

Dor tipo “pontadas” nas têmporas, dor pulsante na testa… há vários tipos de dor de cabeça e, claro, várias possíveis causas. E o mais chato: algumas pessoas parecem ter certa propensão a sentir dor de cabeça após praticarem atividades físicas.

Bom saber:

Oficialmente, a dor de cabeça se chama “cefaleia”. Existem dois tipos de cefaleia: a primária e a secundária. A cefaleia primária é desencadeada por esforço, tensão ou noites mal dormidas. Já as cefaleias secundárias são um sintoma de um problema mais sério, como hipertensão, uma infecção, abstinência de substâncias ou um acidente vascular cerebral (“derrame”).

Neste artigo, identificaremos 4 causas das dores de cabeças sentidas após a prática de exercícios físicos e daremos dicas para prevenção e tratamento das cefaleias. Discutiremos também se atividades físicas podem deflagrar enxaquecas.

#1: Problemas posturais

Postura ruim, estresse e problemas na forma de execução do exercício podem causar tensão. Esta, por sua vez, pode resultar em cefaleia. Dores de cabeça causadas por tensão caracterizam-se por uma dor constante sentida normalmente em ambos os lados da cabeça.(1)

Costas de mulher com top da adidas durante treino de força

Prevenção contra a dor de cabeça

Analise sua forma e postura enquanto estiver treinando, e tenha atenção à postura corporal o dia inteiro, independente do que estiver fazendo. Revise estas dicas sobre como garantir uma boa postura na corrida e evite os erros mais comuns no treino de força.

Se tiver dor de cabeça após o treino, tente usar calor, massagens ou fazer exercícios para aliviar a dor no pescoço para relaxar os músculos.

#2: Desidratação

Seja porque você treinou pesado, suou muito e não repôs os líquidos perdidos, ou porque não anda bebendo água o suficiente no dia a dia, a desidratação é uma das principais causas de dores de cabeça. Calcule exatamente o quanto de água você precisa beber diariamente com nossa calculadora de hidratação.

Homem se molhando para se refrescar após o treino

Prevenção contra a dor de cabeça

Beba bastante água todo dia, o dia todo. Para variar e não ficar só da água, inclua bebidas esportivas especiais para garantir a hidratação, além de vários micronutrientes importantes para o corpo.

#3: Hipoglicemia

Se, além da dor de cabeça, você sentir sintomas tremores, tontura e até enjoo, a causa de tudo isso pode ser hipoglicemia. Os depósitos de energia (glicogênio) foram completamente utilizados, e o nível de açúcar disponível no sangue fica baixo. Para treinar bem, o corpo precisa ter energia disponível para usar.

Chocolate e vinho podem causar dores de cabeça

Prevenção contra a dor de cabeça

Se os sintomas surgirem durante o treino, dê um tempo. Faça uma pausa e dê um gás na glicemia comendo mais carboidratos.

Atenção: alguns alimentos (geralmente em associação a outros fatores causadores) podem desencadear cefaleias e enxaquecas, ou intensificá-las. Evite estes possíveis gatilhos de dor:(2)

  • álcool (principalmente vinho ou cerveja)
  • chocolate
  • cafeína
  • queijos envelhecidos
  • alimentos com alto teor de:
    • glutamato monossódico
    • adoçantes artificiais
    • conservantes como nitratos ou nitritos

#4: Dor de cabeça causada por exercício

Cefaleias primárias causadas por atividades físicas intensas são denominadas cefaleia do esforço. A principal descrição é uma dor pulsante, como uma enxaqueca, na cabeça inteira (cefaleia bilateral) com duração entre 5 minutos e 48 horas.(3,4) Episódios intensos de cefaleia do esforço podem originar vômitos e distúrbios na visão. Assim, é importante levar a sério as dores de cabeça causadas pela prática de exercícios.

Atleta se alongando antes de treinar para evitar dor de cabeça após a corrida

Prevenção contra a dor de cabeça

A cefaleia causada por exercício geralmente ocorre quando o atleta pula o aquecimento ou se o treino é intenso demais. O calor excessivo colabora para o surgimento deste tipo de dor de cabeça, bem como altitudes elevadas (trilhas intensas em montanhas, por exemplo).

Uma forma de evitar dor de cabeça causada pela prática de exercícios físicos é reduzir a intensidade dos treinos. Confira essas dicas para correr no calor, pois podem ajudar a lidar com as altas temperaturas e evitar desidratação.

Importante:

Se ficar com a mesma dor de cabeça por dias ou perceber que, em um mês, você passa mais dias com dor de cabeça do quem sem ela, procure especialistas. Profissionais da área de medicina podem verificar se a cefaleia é primária ou secundária e se são causadas por outros problemas de saúde.

Exercício físico pode causar enxaqueca?

Em primeiro lugar, ainda não há tantas pesquisas sobre a relação entre enxaqueca e exercícios físicos. Entretanto, existem estudos que apontam que, para pessoas que já sofrem com enxaqueca, praticar atividades físicas pode deflagrar novas crises de enxaqueca.

Acredita-se que as cefaleias de esforço e de tensão descritas acima sejam mais propensas a causar enxaqueca.(5) Se você tem propensão a enxaquecas, é ainda mais importante você tentar prevenir os quatro tipos de cefaleia descritos acima para minimizar as chances de sentir dor de cabeça após o treino.

Boas notícias: há estudos que indicam que a prática regular de exercícios pode ajudar a prevenir enxaquecas, ou ao menos a reduzir a intensidade da dor. Isso graças às endorfinas produzidas durante o treino. Viva as endorfinas!(6,7)

Lição para levar pra vida:

Antes de começar a treinar, se hidrate bem e garanta a energia necessária para o treino. Nada de colocar o corpo no modo turbo se o tanque estiver vazio! Atenção à postura e forma correta de realização dos exercícios. Se começar a sentir dores de cabeça fortes acompanhadas de tontura, enjoo, tremores e vômitos, pare de treinar imediatamente e marque uma consulta médica. O mesmo vale se uma cefaleia durar vários dias. Se cuide para treinar bem!

***

 

CLASSIFIQUE ESTE ARTIGO

Katrin Grabner Formada em Filologia Românica e jornalista de profissão, Katrin é uma copywriter que defende o uso de linguagem inclusiva. Seja praticando yoga ou escrevendo para o blog, uma coisa é regra: bom humor, sempre! Ver todos os artigos de Katrin Grabner »