Como calcular o peso ideal? Paz com a balança e positividade corporal

Mulher satisfeita com o próprio corpo e livre dos padrões de beleza impostos pela sociedade

Muita gente quer perder uns quilos, mas há quem queira ganhar peso. Muita gente quer ganhar músculos, mas há quem se preocupe em ter músculos aparecendo demais. Não importa se a questão é gordura, músculos, pelos corporais ou até a pele: a maioria das pessoas não é satisfeita com o corpo que tem. Mas… por que, hein? E o quanto isso tem a ver com saúde e boa forma?

“Ser” vs. “Parecer” saudável

Imagine uma pessoa magra com boa definição muscular: muita gente apostaria que trata-se de uma pessoa saudável e em forma, certo? Principalmente na cultura ocidental. Assim, as pessoas que não se encaixam nesta imagem são geralmente julgadas negativamente e criticadas por “estarem brincando com a saúde” e fora de forma.

Bem, existem algumas métricas para a avaliar a “saúde”, e o principal é o índice de massa corpórea (IMC). O objetivo desta métrica é calcular o seu peso saudável ou ideal. É por isso que, dia após dia, muita gente sobe na balança para monitorar seu andamento ou progresso. Eis a verdade: o número na balança *não* determina se a pessoa é saudável!

Segundo a editora dedicada a assuntos de saúde da Harvard, a Harvard Health Publishing, existem 5 fatores e hábitos cruciais para um estilo de vida saudável.

  1. Alimentação: uma dieta saudável inclui frutas, legumes, castanhas, grãos integrais, gorduras saudáveis e ácidos graxos ômega-3. Gorduras trans, alimentos e bebidas adoçadas e ultraprocessadas, carne vermelha e sódio devem ser consumidos o mínimo possível!
  2. Prática de exercícios: o mínimo recomendado é praticar ao menos 30 minutos por dia de atividades físicas. A recomendação não é nossa: é da Organização Mundial da Saúde (OMS), pois esta instituição também prioriza a prática de exercícios!
  3. IMC: segundo a OMS, um IMC normal para adultos fica entre 18,5 e 24,9.
  4. Fumar: esquece isso. Evite fumar a todo custo.
  5. Álcool: para mulheres, o consumo diário de álcool deve ser inferior a 15 gramas/dia. Para os homens, o limite é de 30 gramas/dia. Genericamente falando, um drink contém cerca de 14g de álcool.

Bom saber:

O índice de massa corporal (IMC) é calculado com base na altura e no peso da pessoa. Mas o peso ideal e saudável é baseado na idade da pessoa. A composição corporal é totalmente ignorada na equação. Não há diferenciação entre músculos, gordura e água.  Tenha sempre em mente que o IMC é um valor médio. Se a sua altura for acima ou abaixo da média, o índice não é uma orientação lá tão confiável.

Corpo saudável: PAz com a balança

Em primeiro lugar, é importante estabelecer uma meta pessoal. Se quiser emagrecer ou ganhar peso com saúde, faz sentido ficar de olho no peso.(1, 2) Para este fim, balanças que calculam a gordura ou a composição corporal podem ser bem úteis. As condições de medição devem ser sempre as mesmas, ok? Mesmo horário, mesmo local, com ou sem roupas.

Mesmo assim, estas balanças podem não oferecer medição precisa do seu nível de forma física ou da saúde como um todo. Quem quer informações detalhadas precisa consultar um médico para realizar um exame de sangue e medir a pressão arterial. Somente dados deste tipo dão detalhes sobre a saúde do corpo: glicemia, colesterol, saúde cardíaca, etc.(3)

Há orientações claras sobre como se manter saudável e viver mais. Ainda assim, a internet e as revistas estão sempre anunciando dietas da moda, soluções milagrosas para perder peso rápido e curas mágicas para problemas de saúde. E por que tudo isso? Bem, porque a sociedade associa saúde e boa forma a padrões de beleza, corpos atrativos.

E qual é o padrão de beleza da atualidade? Baixo índice de gordura corporal, pele macia e firme, boa definição muscular (mas não excessiva, principalmente para mulheres!), como este estudo demonstra. Na verdade, com base nos padrões atuais, para que uma mulher seja considerada atraente, ela deve estar ligeiramente abaixo do peso ideal. A mítica e universal imagem da mulher magra, cintura fina.

autoImagem saudável: o que é “positividade corporal”?

O movimento da positividade corporal tem uma pauta bem simples: ame seu corpo como ele é. Não existe corpo ruim, feio: com ou sem celulite, marcas da idade, IMC “x” ou “y”, manequim, deficiências… tá tudo valendo! O objetivo deste movimento é desconstruir imagens corporais discriminatórias e irreais, além dos “padrões” de beleza excludentes.

Estudos demonstram que a autoimagem que fazemos do próprio corpo (ou das outras pessoas) tem menos a ver com saúde do que com atratividade. Se a pessoa tem um corpo que não casa com o padrão cultural de beleza, o resultado pode ser baixa autoestima e depressão, mesmo que a saúde e o condicionamento físico estejam em dia.😣

E o contrário vale, também: certas pessoas têm predisposição genética para serem magras. Outras são mais fortes, naturalmente. Mas isso não significa automaticamente que tais pessoas são saudáveis ou estão em forma!

críticas à positividade corporal

Nos últimos anos, o movimento em prol da positividade corporal vem sofrendo muitos ataques. Quem o critica argumenta que, apesar das boas intenções, o movimento é excessivamente focado… na imagem corporal.

Há, então, um movimento denominado neutralidade corporal, que questiona se precisamos mesmo amar nossos corpos, e mais: por que somos definidos por nossa aparência? Precisamos nos submeter a isso?

Independentemente de adotarmos uma atitude positiva ou neutra quanto a nossa autoimagem, a meta é sentir paz com relação ao próprio corpo. Mas sem negligenciá-lo, claro. Lembre: seu corpo é seu veículo no mundo, seu melhor amigo! Defina-se pelo tipo de pessoa que você é, e não pela aparência física, externa.

Lição para levar pra vida:

Você ama seu corpo? Ótimo! A sua sensação se aproxima mais de uma neutralidade do que amor? Vale, também. O importante é gravar no fundo da alma que o número na balança, a aparência, a alimentação ou hábitos fitness não são os únicos indicadores de saúde e condicionamento físico. Busque ter uma abordagem holística relativamente à saúde, cuidando tanto da saúde física quanto da saúde mental. Este é o segredo para viver uma vida longa e feliz.

Nossas dicas:

***

CLASSIFIQUE ESTE ARTIGO

Katrin Grabner Formada em Filologia Românica e jornalista de profissão, Katrin é uma copywriter que defende o uso de linguagem inclusiva. Seja praticando yoga ou escrevendo para o blog, uma coisa é regra: bom humor, sempre! Ver todos os artigos de Katrin Grabner »