Correr à noite ou pela manhã? Dicas de segurança para corredores

Mulher se preparando para correr à noite em segurança

Correr cedinho de manhã não é pra todo mundo. Tem muita gente que não consegue treinar corrida antes de sair para o trabalho ou os afazeres do dia a dia. E isso não tem problema algum. O dia tem 24h, certo?

Correr à noite é uma ótima alternativa para desestressar, criar hábitos noturnos saudáveis e garantir uma boa noite de sono. No entanto, dependendo de onde você normalmente corre, a segurança pode ser uma preocupação extra à noite. Temos dicas para aumentar a segurança das corridas noturnas.

8 dicas de segurança para correr à noite

1. Use roupas refletivas  

Parece um “extra”, mas na verdade é fundamental. Sempre que houver um recurso para garantir que os motoristas dos carros enxerguem você, use-o. Roupas refletivas são uma ótima ferramenta para isso. Essa dica vale para ciclistas, também. O mais seguro é inclusive usar uma lanterna de cabeça. Quanto mais visível você ficar, melhor. Da mesma forma que a luz dos faróis ajuda os motoristas, uma lanterna de cabeça pode ser útil para você. E roupa refletiva não é só aquele clássico colete amarelo neon com faixas cinza, não! Além dele, você pode adquirir roupas fitness com propriedades refletivas, tênis e lanternas de cabeça específicas para quem pratica esportes noturnos. Invista na sua segurança!

2. Corra na contramão 

Essa dica é especial para quem corre em vias movimentadas. Sempre corra na direção contrária aos carros, e nunca na mesma direção dos carros. Assim, você verá os carros vindo em sua direção e pode desviar se necessário. Isso é muito recomendável para ciclistas, também. Diferentemente dos carros, seres humanos não têm como ver atrás de si, de forma que você nunca sabe o tamanho ou volume dos carros vindo atrás de você. Se você corre em via de mão dupla, aí não tem jeito: redobre a atenção, mas evite vias de mão dupla muito movimentadas.

3. Siga as regras de Trânsito

Por motivos de segurança, às vezes é preciso atravessar uma rua com rapidez. Se for fazer isso, preste o dobro de atenção no trânsito! Tente ter em mente as regras gerais de trânsito (ex: é uma via preferencial?) e, sempre que possível, atravesse as ruas apenas no semáforo ou em locais sem tráfego intenso. Quando houver uma placa de “PARE” para os carros, pare você também e analise o trânsito ao redor. Criando esse hábito, essa vigilância vai se tornando automática e não atrapalha tanto o embalo da corrida.

4. Corra em vias iluminadas e movimentadas

Sabe aquele atalho meio deserto ou escuro porém super prático e tentador que você já usou tantas vezes durante o dia? Não caia na tentação! Em nenhum lugar do mundo é recomendável correr em áreas mal iluminadas ou desertas. Essa dica tem peso de ouro (infelizmente) para as mulheres que, além de assaltos, podem sofrer outros tipos de violência. É triste, é revoltante, mas é o que é. A gente sabe que tudo pode acontecer em qualquer dia, local ou horário, mas nunca é demais evitar áreas desertas à noite. Percorra o máximo possível do seu percurso em áreas bem iluminadas e, de preferência, onde há outras pessoas correndo. Assim, é mais provável ter mais segurança na corrida noturna.

Assuma uma atitude colaborativa!

A gente sempre pode cooperar para a segurança alheia. Confira algumas opções de ação para testemunhas propostas pela organização Right to Be, um movimento global que visa eliminar todo tipo de assédio e violência. Informação é poder! Se informe sobre como ajudar outras pessoas sem se colocar em risco. Esperamos que você nunca precise usar esse tipo de conhecimento, mas, se for necessário, ao menos você vai saber como agir.

Mulher vestida para correr

5. Corra com mais alguém  

Se você tem uma pessoa que mora por perto e também curta correr à noite… por que não formar uma parceria? Quanto mais, melhor, certo? Todo mundo sabe que pessoas que transitam sozinhas pelas ruas têm maior chance de sofrer violência. Aliás, em muitas cidades, há grupos de corrida que se reúnem à noite para correr coletivamente. Isso é ótimo porque não somente colabora para a segurança de todo o grupo mas também porque você conhece novas pessoas com mentalidade fitness, o que aumenta a motivação.

6. Ouvidos abertos e atentos, sempre!

Sabemos que a música pode motivar muito sua corrida, mas os fones de ouvido atrapalham muito na percepção do que se aproxima de você. Correndo sem fone de ouvido, o cérebro registra os ruídos ao redor e determina a reação: é uma pessoa? Animal feroz? Veículo inesperado?

7. Leve o telefone celular carregado

Hoje em dia, existe uma série de acessórios compatíveis com o adidas Running mas, se estiver de noite ou se a segurança for uma preocupação para você por qualquer motivo, leve seu celular carregado para a rua. Às vezes, ele será útil para ligar para alguém e pedir alguma ajuda, seja para você ou para outra pessoa que precise de auxílio.

Homem correndo no fim da tarde em uma rua vazia

8. Use a função AO VIVO do app adidas Running

Conecte-se com seus amigos no aplicativo adidas Running e use a função de rastreamento AO VIVO, pois, assim, seus amigos veem em tempo real exatamente onde você está. Se você estiver sentindo insegurança sobre alguma corrida, peça a alguém que fique de olho no seu rastreamento por GPS e informe a hora que pretende chegar em casa.

Dicas de nossa comunidade sobre correr à noite

Pedimos a nossos seguidores no Instagram que compartilhassem ideias sobre segurança conosco. Eis o que aprendemos: Dos mais de 1000 usuários que participaram da pesquisa, 64,7% disseram ter temido pela própria segurança ao menos uma vez durante a corrida. As maiores preocupações relativas à segurança são cachorros, veículos, assaltos, episódios de assédio ou cantadas dos homens.

Use as dicas apresentadas acima para tentar garantir o máximo de segurança para a sua corrida noturna. Olhos e ouvidos bem abertos, roupas refletivas, celular carregado, alguém de olho no seu GPS e… vamos que vamos!

***

 

CLASSIFIQUE ESTE ARTIGO

Emily Lemon Formada em Tradução e Literatura, Emily utiliza sua perspectiva de cidadã global para focar na articulação de processos eficientes de comunicação intercultural. Ver todos os artigos de Emily Lemon »